Tate no Yuusha no Nariagari

    Eai pessoal, tranquilo? Tô de volta!

    Como alguns já sabem Kenja no Mago recebeu uma adaptação para anime que foi lançado dia 11 desse mês (Abril), e por sinal foi feita uma postagem sobre suas primeiras impressões. Quem ainda não conhece Kenja no Mago eu recomendo que assista o primeiro episódio e acesse o post anterior para evitar problemas — Spoilers!

    Bora pra análise então!

    O Episódio 2 começou de maneira tranquila, já com algumas indiretas — indiretas que a própria opening deixa na cara, genial — sentimentais entre o protagonista e a heroína.

    Os personagens estão sendo bem trabalhados, tanto os aspectos visuais quanto suas personalidades, o que gera um ótimo contraste entre eles. Tanto as garotas, Maria e Sicily, quanto o próprio Príncipe August — ou apenas Aug — que Shin chama de primo, são os primeiros novos personagens a serem apresentados e que terão grande relevância na história.

    Em geral todos os personagens apresentados nesse episódio possuem pontos individuais de carisma, até mesmo os guarda costas do príncipe no momento que Shin os apresenta aos seus avós.


    O próprio Rei, Diseum,pai de Aug, reage de formas inesperadas criando momentos de descontração. Todos que convivem com Shin tem esse lado mais leve, o que é ótimo!

    O uso do Background durante as falas continua sendo um ponto muito positivo, porque facilita a visualização do que os personagens estão pensando ou sentindo, seja amor, medo, raiva.


    Não posso deixar de falar de algo que eu percebi e adorei nessa obra. O fato dos personagens terem seu lado sério, mas sempre conseguirem descontrair o clima com algumas malícias — Nada pesado, relaxem. — entre outros do seu grupo de amigos.

    — Quem nunca teve amigos assim?

    Um ponto que enriquece o carisma de Shin tanto no mangá quanto no anime são as suas reações em certos momentos, como por exemplo sentir vergonha no momento que os alunos estão pronunciando frases durante a conjuração de feitiços.


    Fora outras oportunidades criadas pelo autor para exaltar mais esse lado dele. Como quando ele descobre que seria o aluno indicado para fazer o discurso dos novos membros da Academia de Magia.

    — Na minha opinião, nesse ponto o mangá deixou mais explícito a reação dele.

    Além disso, é um personagem que age, tomando iniciativas quando necessário. E também é ótimo o fato dele se demonstrar um personagem "pensante". O que quero dizer? Um bom exemplo é a cena das garotas encurraladas na parede no final primeiro episódio, onde ele mesmo comenta "Que clichê".

    A respeito das animações, elas seguem fluídas. Ficou muito legal a maneira como os alunos que estavam no teste para admissão da Academia de Magia faziam para conjurar seus feitiços, — Apesar de se vangloriarem por nada — o estúdio (Silver Link) coreografou todos os movimentos dos perso... figurantes, de forma que acabou tornando as cenas mais divertidas — ainda mais com as reações do Shin.

    E os Efeitos Visuais seguem lindos! É incrível não somente a dedicação como a organização do diretor e da equipe responsável pelo Anime.





— Preciso falar mais algo? kkk

    Apesar de Shin poder criar objetos mágicos de grande valor — Nível Tesouro Nacional como diz Melinda — é possível sentir um leve equilíbrio nesse quesito. O próprio jovem menciona que apesar de servirem como uma grande fonte de defesa, não é capaz de proteger contra furtividades pois precisam de uma fonte de Mana para serem ativadas.

    Acho isso interessante porque ao mesmo tempo que esses itens encantados concedem um poder altíssimo, não fornece proteção 24h. Também há outro detalhe sobre roupas encantadas, mas só poderei falar no próximo post porque não quero dar nenhum Spoiler — Eu li no mangá.

    E bom, agora uma das partes que mais deve ter incomodado quem estava assistindo o anime. Kurt, o antagonista que mais parece um garoto chato e mimado do que um vilão em si, mas né. Para começar, já chegou tomando uma chuva de braço do protagonista.

    — Foi prazeroso de assistir, não nego.

    E depois tenta extorquir Sicily usando seu poder de status social.

    — Na frente do protagonista. Esse tem coragem... Ou burrice...

    Ele ainda usou o pior tipo de agressão possível, a psicológica. As vezes é melhor uma surra do que isso, sério.

    Bem, por fim quero mencionar apenas dois pontos negativos baseados na minha opinião pessoal.

    Primeiro comparado ao mangá achei algumas cenas Rushadas demais. Eu sei que isso é normal em adaptações, mas isso acabou se misturando com o segundo ponto que não me agradou tanto, que foram as transições excessivas a fim de trocar as cenas rapidamente.

    É apenas um detalhe, pode ser que não incomode alguns, até porque sou extremamente detalhista, e também deve ter alguma relação com eu estar lendo o Mangá e sentir ausência de algumas cenas, mas apesar disso tudo, parar mim isso não impacta de uma maneira negativa geral na obra.

    É isso ai! Muito obrigado por ter dedicado seu tempo à leitura da AniPlease, grande abraço!


「 Luke: Escritor e Fundador do AniPlease!, Filmmaker, Estudante de Marketing, Otaku e Viciado em Café 」
 
AniPlease! é um site feito para fãs da Cultura POP Oriental com o propósito de trazer informações de forma completa, inteligente e divertida para todos.